terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Eu comeria uma panela inteira de brigadeiro hoje.

Tô começando a entender porque tenho cansado do twitter: tem horas em que não quero ler as besteiras de ninguém, nem quero que ninguém leia as minhas.
Aqui é diferente, porque vem atrás quem quer.

Ontem lembrei de  A insustentável Leveza do ser (e só deus sabe porque escrevi leveza com maiúscula, juro que não foi intencional), quando o narrador brinca de definir as pessoas, e diz que o Franz e o filho do Tomas são pessoas que precisam de um olho sobre os ombros delas, sobre suas ações. Fez um sentido todo grande pra mim, embora nada novo.

Para variar, tô fugindo de mim na vida dos outros - do outro distante fisica, social e temporalmente - sem dar pitaco nem nada. Só olhando.

Hoje eu descobri um caminho semi-novo pra sair do Pelourinho.

Nenhum comentário: