quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Ser

Sempre quis ser poeta (sim, poeta, porque poetisa lhe era um termo desconhecido à época). Achou que talvez fosse uma boa idéia ser escritora (esta conjugação de gênero, sim, conhecia). Contentou-se com o desejo de ser lembrada. Pensou bem e decidiu que seria só mãe e esposa dedicada.


Esqueceu tudo aquilo quando lembrou que vivia num mundo multimídia. Com novas resoluções, resolveu se jogar em projetos.

Queria ser tudo: menos morna

Nenhum comentário: