sexta-feira, 10 de setembro de 2010

E ela gostava de interpretar esse papel meio torto, de menina inocente e nada sabida, do tipo que faz as perguntas certas nas horas erradas para ganhar um afago. Gostava da idéia de ser a protegida do diretor, da segurança do papel da Lolita.


Demorou foi a perceber que não estava num palco

Um comentário:

Peterson Quadros disse...

Acabei de passear pelo blog... Alegre e encantador, nao por isso menos profundo e enigmático, assim como esse post...Obirgado