quinta-feira, 1 de maio de 2008

Tirei dez em redação

Num texto que não valia nota....



"A violência é tão fascinante”, dizia Renato Russo, então cantor dos jovens das mais diversas classes sociais. Isso porque, já nos idos anos 90, o tema era centro de discussões não só entre sociólogos ou policiais: o pai de classe média ou a mãe de classe alta já se preocupavam, e não porque o crime podia por acaso chegar até eles, mas sim porque os criminosos passaram a dormir no quarto ao lado.

“E nossas vidas são tão normais”, era o próximo verso da música. A verdade é que o líder da Legião Urbana mal sabia o que estava por vir: desde o índio queimado no Planalto Central até o filho de trinta anos, sustentado por um estágio no escritório do pai, e que está sendo acusado de matar a própria filha, passando pelos casos Richtoffen e da prostituta espancada, a violência praticada por membros das classes abastadas só se intensifica.

Errado aquele que pensa que, para chegar a conter um crime, é necessário que o “criminoso” tenha algum trauma de infância, como no caso da menina mineira que sofria maus-tratos de sua tutora. Isso ocorre, é claro, mas o que é mais freqüente é o envolvimento de jovens de boas famílias em crimes absurdos, sem que se tenha como justifica-lo senão pela ausência de dificuldades m seu processo de crescimento.

Boas condições financeiras, bom estudo, suscetibilidade paterna a ceder aos seus caprichos. O que falta a esses jovens para que busquem válvulas de escape no submundo o crime?A falta de limites, pois não. Pais permissivos e ausentes os levam a crer que possuem o mundo, e que este lhes deve servir. Caso contrário, o julgam “inútil” e o “descartam”, como fariam a um celular fora de moda.

“Tudo parece ser tão real; mas você viu esse filme, também”. Jovens abastados, crimes dignos de profissionais. A freqüência com que tais fatos acontecem progride tanto que estes já se tornaram só mais uma notícia nos jornais.

Um comentário:

-any valette disse...

só para lembrar que este texto foi lido na rádio do colégio :D