quarta-feira, 19 de março de 2008

Baseado em fatos reais.

"Oi, tudo bem?" e "Tudo bem com a senhora" foram ditos em uníssono. Não houve resposta para nenhuma das perguntas (que no fundo eram a mesma).

A mais nova forçou um sorriso e abaixou a cabeça ante a chuva, para continuar sua caminhada ao seu lar lilás. Já havia desabafado com gente demais. Mas sua vontade real era a de dizer que não, não estava bem, muito pelo contrário, mais parecia que estava em seu inferno astral, que estava tentando mudar, ser melhor, crescer, que tinha acabado de se afastar de uma pessoa de quem gostava muito simplesmente porque não a amava o suficiente para estar ao seu lado, que agora tinha medo de ter ferido essa pessoa, que não conseguia entrar em consensos com a família, que vinha se dando mal em coisas banais, que tirara um 7.5 em inglês, quando deveria tirar a nota máxima, porque ela já era formada em inglês. Ela ia dar aulas de inglês. aquilo não era nota. E tinha medo do que ia acontecer com as próximas provas, e estava chuvendo, e chuva é bom, mas não quando se tem muito pra fazer, e que, ainda por cima, ela estava menstruada e com cólica. Que tinha cansado de quase tudo, e que não gostava dessa crise toda, e que tinha cansado de reclamar da vida. Que 'tava triste e cansada e que achava que não ia ter futuro nenhum na vida. Que 'tava perdendo a esperança no futuro.Que 'tava detestando crescer.

Enquanto isso, a senhora continuava a abrir o portão.


Crise: do grego,crescimento

Nenhum comentário: