sexta-feira, 9 de novembro de 2007

- Ama-o muito? - perguntou.
Ela não respondeu, continuando a observar a paisagem. Por fim respondeu:
- Também eu gostaria de sabê-lo.
Ele meneou a cabeça.
- A certeza seria fatal. É a incerteza que dá encanto aos fatos. Um nevoeiro torna as coisas maravilhosas.
- Mas nele pode-se perder o caminho.
- Todos os caminhos levam ao mesmo lugar, minha cara Gladys.
- E qual é esse lugar?
- A decepção.
- Foi a minha estréia na vida - suspirou ela.
(...)
- Nunca demonstrou ciúmes?
- Antes tivesse demonstrado.
Ele olhou ao redor, como se procurasse alguma coisa.
- Que está procurando? - indagou ela
- O botão do seu florete, que você deixou cair.
Ela caiu na risada.
- Ainda estou com a máscara.
- Que torna os seus olhos mais adoráveis - foi a resposta. Ela riu de novo. Seus dentes brilhavam como brancas sementes em um fruto rubro.


O retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde

[aaaaaah *_* quero mais livros pra ler, quero mais livros]

Um comentário:

[o eremita] disse...

sonhos metafóricos me deixam eufórico.
-girando e girando na ponta do dedo do pé-
-pulando descontrolado